Como importar eletrodomésticos

Como importar eletrodomésticos de forma segura e legal é uma questão que muitos desconhecem.

 

Com o advento de websites como o Aliexpress.com e Ebay.com muitas pessoas acabam comprando eletrodomésticos sem procedência alguma.

 

Esse tipo de importação prejudica a indústria local, o Governo e o próprio consumidor.

 

Prejudica a indústria pois o importado nesse sistema nem sempre paga imposto, ou seja, é concorrência desleal.

Prejudica o Governo pela falta de arrecadação, por consequência toda a sociedade.

Prejudica o consumidor pois ele não tem certeza da qualidade, tão pouco tem a quem reclamar em caso de problemas técnicos.

 

Em 29 de Dezembro de 2009 Foi editada a Portaria n°371 que regulamenta a produção e importação de eletrodomésticos, através de certificação do INMETRO

Hoje existe a necessidade, mesmo das indústrias nacionais, importarem alguns eletrodomésticos, pois a tecnologia empregada no exterior os torna mais baratos.

É muito comum comprarmos um eletrodoméstico aqui e vermos que foi fabricado na China.

Afinal, como importar eletrodomésticos?

 

Muitos artigos na internet dão dicas mirabolantes sobre caminhos para importar, mas cuidado, há apenas um caminho!

A importação de eletrodomésticos como circulador de ar, liquidificador, batedeira, mixer, coocktop, coifas, ar condicionado e outros depende de INMETRO.

Mesmo que você compre uma quantidade pequena é necessário a autorização prévia do INMETRO, caso contrário sua encomenda pode ser retida.

O importador é o responsável solidário aqui no Brasil sobre o produto vendido.

Então cuidado ao comprar algo pela internet com o intuito de revender.

O Governo faz isso justamente para proteger o cidadão de produtos de baixa qualidade, que podem inclusive causar incêndios.

A empresa interessada em importar eletrodomésticos deve primeiramente localizar um fabricante no exterior que tenha capacidade técnica para atender às normas do INMETRO.

 

Após essa etapa deve-se encaminhar a algum órgão certificador, credenciado ao INMETRO, o pedido de elaboração de estudo de qualidade.

 

Esses órgãos certificadores , SGS e TUV por exemplo, atestarão a conformidade do produto e encaminharão ao INMETRO o relatório.

 

Após isso, há a emissão do certificado de qualidade INMETRO, permitindo assim que você possa importar eletrodomésticos com segurança.

 

Vale salientar que todo importador deve ter uma assistência técnica local para atender clientes que venham a comprar os itens importador.

 

Esse processo todo não é barato, além de demandar alguns meses até sua conclusão.

 

Aconselhamos que somente planeje importar eletrodomésticos se esse for um plano contínuo e volumoso.

 

Importar liquidificador por exemplo só é viável à partir de 2mil unidades por embarque.

 

Os grandes importadores que já estão consolidados aqui no Brasil já importam volumes enormes, ou seja, para você concorrer com eles é preciso volume.

 

Aqui na Máxxima nós assessoramos empresas que desejam ingressar nesse segmento, nós inclusive localizamos fornecedores na China para isso.

Lembrando que nós somente atendemos projetos industriais e de atacadistas.

 

A importância do Despachante Aduaneiro

A importância do Despachante Aduaneiro é questionada por muitos importadores, mas afinal contratar ou não um Despachante Aduaneiro?

 

Para responder essa questão vamos levar em consideração alguns pontos que colocaremos aqui, lembrando que cada pessoa tem liberdade em sua expressão.

 

A figura do Despachante Aduaneiro vem desde a época do Império,  afim de unir os importadores e o Governo.

 

De lá para cá muita coisa mudou, porém a relação entre Estado e empresários ainda tem certas arestas, não por falta de acesso, mas por falta de informação.

Hoje quase tudo é informatizado, facilitando e muito a vida do importador, pode se fazer quase tudo online para liberar uma carga.

 

Entretanto uma coisa a tecnologia nunca vai mudar, a habilidade humana, sim, o Despachante Aduaneiro é um profissional versátil, conhecedor de leis e de processos.

 

Por mais que o importador leia posts na internet sobre o tema, apenas quem vive isso fisicamente no seu dia a dia terá a total compreensão.

 

É extremamente comum vermos empresas que tem mais de 200 processos de importação por mês terceirizar tudo com um Despachante Aduaneiro, mesmo tendo um custo mais alto que meramente contratar uma pessoa para fazer isso internamente.

 

Os importadores mais experientes notaram que cuidar do Despacho Aduaneiro tira o foco das suas operações.

 

O dia a dia do Despachante Aduaneiro

 

Esse profissional conhece cada canto do porto, cada agência marítima, cada armazém, ESSA É SUA VIDA.

Já o importador não conhece quase nada, ele visita o porto em momentos esporádicos.

Como diz o ditado ” Quem faz tudo, não faz nada”, por isso é bom compreender a importância do Despachante Aduaneiro.

É fácil deduzir então que facilita e muito o andamento de um processo se for administrado por um profissional do ramo.

 

O importador tem sim o direito de fazer seu próprio Despacho Aduaneiro, mas reflita, vale a pena? Vale a pena perder dias atrás disso?

Obviamente que muitos dirão que sim!

Como eu já disse cada um tem sua expressão, porem eu aconselho que cada importador contrate sim um profissional.

O custo do Despachante Aduaneiro, em média, é 1% do valor da importação, ou seja, não é ele que inviabiliza a operação.

 

O representante é a ligação entre você e os órgãos responsáveis na importação.

O Despachante Aduaneiro é nomeado pela Receita Federal para ser o responsável principalmente pela orientação tributária ao importador.

 

Aqui na nossa empresa contamos com vários Despachantes Aduaneiros para atender nossos clientes com total qualidade.

 

Atribuições do Despachante Aduaneiro

 

Em regra atribui-se ao profissional meramente o ato do desembaraço aduaneiro.

Alguns profissionais, como os nossos, são capacitados para ir muito além.

Nossa equipe elabora:

Custos de importação,

Realiza embarques,

Confere documentação pós embarque,

Emite licenças,

Realiza vistorias e claro, faz o despacho Aduaneiro.

Na hora de contratar um profissional não veja apenas o valor do seu honorário, esse é um erro comum.

Considere tudo o que ele agrega em seu serviço e os benefícios que o trará.

É importante lembrar também que o honorário do Despachante Aduaneiro é pago através de órgão de classe.

Nossos Despachantes Aduaneiros são filiados ao Sindicato, o qual retém uma fração do valor à título de contribuição e também retém o imposto de renda.

Não aceite pagar diretamente pelo serviço, pois você estará sujeito a sanções por parte do Ministério do Trabalho.

 

Área de atuação

 

Outra vantagem do uso do Despachante Aduaneiro é a distância entre as empresas e o porto.

Imagine se você está no Mato Grosso por exemplo, fica inviável ir até Santos, por exemplo, para liberar um container.

Por situações como essas é importante ter um profissional ao lado do porto, pronto para te representar a qualquer momento.

Nós atendemos clientes de diversas cidades do interior do Estado de São Paulo.

Se sua empresa está fora do nosso Estado não tem problema, podemos atender.

Fale conosco, certamente ajudaremos.

Como exportar

 

Como exportar? O Mercado externo vem sendo notado cada vez mais como opção aos nossos empresários para expandir seus negócios.

Até pouco tempo o empresário se contentava em vender seus produtos para as cidades vizinhas, depois para os Estados vizinhos, hoje ele não vê mais fronteiras.

Esse pensamento já é habitual em países asiáticos, dai percebemos a sua voracidade nos negócios.

 

Exportar não é uma tarefa fácil, temos que levar em consideração alguns fatores fundamentais:

 

*Há demanda pelo seu produto?

Essa questão é importante para não gastar recursos em um mercado que dará pouco ou nenhum resultado, afinal como exportar se o mercado não o quer.

Imagine você querendo exportar sucata de ferro para os Estados Unidos, será impossível pois eles tem esse material em abundância e são líderes mundiais nessa exportação.

Se você quer exportar comida por exemplo há inúmeros países, principalmente africanos que são potenciais compradores, como Angola por exemplo.

O Brasil ainda é tímido nas exportações, poucas empresas se destacam e geram mais de 85% do volume exportado, sendo mineradoras fábrica de avião e montadoras.

 Mas não se intimide, pois mesmo pequenas empresas obtém êxito nas exportações, baste seguir alguns conselhos:

 

*Seu produto atende padrões internacionais de qualidade?

 

No mercado global a concorrência é muito mais predatória que aquela que encontramos aqui dentro do Brasil.

Para te um espaço nesse seleto grupo é importante que seu produto se adeque à normas internacionais de qualidade, isso dará mais confiança aos compradores.

Existem mercados que aceitam produtos de baixa qualidade, mas também pagam muito pouco por isso, ou seja, não vale a pena.

Capacite-se e invita em tecnologia e inovação, dessa forma seu produto fará frente aos demais.

 

*Seu preço é competitivo? Como calcular preço de exportação?

 

É importante saber se seu produto tem preço competitivo para entrar naquele mercado que você almeja.

Por mais que ele tenha qualidade outros concorrentes seguramente terão também.

 

O preço ainda é um fato decisivo em muitas negociações, lembre-se disso.

Quando se calcula preço de exportação é preciso excluir os impostos (IPI, PIS, COFINS e ICMS), pois ficam fora da conta.

Como a mercadoria tem destino ao exterior não há razão para o governo exigir tais tributos, que são de circulação interna.

Mas preste atenção, há a incidência de IRPJ e CSLL sobre o valor exportado.

Não esqueça de considerar esses valores na sua composição de preço.

 

Um entrave ao empresário é saber como formar o preço de exportação, há um site do Ministério da Indústria e Comércio que tem uma planilha online, bem bacana!

 

Essa planilha é apenas auxiliar pois alguns custos como transporte, liberação alfandegária, transporte internacional e taxas portuárias você deve consultar uma empresa de assessoria. 

 

*Preciso de Radar para exportar?

 

Sim, para todas operações, seja importação ou exportação é necessário que o interessado esteja devidamente habilitado no Radar, veja como.

 

O interessante é que na importação a Receita Federal estabelece limites operacionais de acordo com a capacidade financeira da empresa.

Na exportação não há limites, pois pressupõe-se que os recursos da exportação serão provenientes do exterior.

Ou seja, se eu quiser exportar sucata de ferro,  que sejam 1.000 toneladas, eu posso.

Mesmo que minha empresa tenha a habilitação mais comum, a Expressa, que permite importar até USD50mil por semestre.

Veja, um lote de sucata de ferro para exportação passa facilmente de USD300mil

O comprador fará o pagamento, ou adiantado ou carta de crédito e com isso eu consigo levantar recursos.

Por isso que a Receita Federal entende que o exportador não precisa de limite operacional.

 

Você pode ter acesso mais detalhado sobre exportação no Invest Export Brasil, site do governo.

 

A idéia fundamental desse post é mostrar que é possível sim o pequeno empresário exportar, seguindo certas regras.

Para exportações pequenas há a modalidade Exporta Fácil do Correios, serviço esse simples e bem simplificado.

Esse serviço é bom para quem exporta pequena quantidade, além do que o exportador faz sozinho.

Nessa modalidade não é necessária contratar um Despachante Aduaneiro por exemplo.

Exportações volumosas seguem outros ritos, como já dito anteriormente.

Para concretizar sua exportação fale conosco, nossa empresa te assessora em todas as tapas da exportação, sendo logística, aduaneira e documental.

Entenda como importar tecidos da China

 

Afinal, como importar tecidos da China?

Como importar tecidos da China é uma questão que  poucos compreendem.

Não é de hoje que muitas empresas buscam tecidos fora do país, antigamente a Europa era o foco principal.

Atualmente isso mudou, países orientais ganharam competitividade e qualidade em suas produções.

A China tem sido um grande parceiro comercial no segmento textil, apesar de em certos casos ela sufocar a nossa indústria local.

Muitas malhas que eram fabricadas aqui deixaram de ser feitas, passando a ser importadas, causando assim perde de muitos postos de trabalho no Brasil.

 

Por que importar tecido?

Independente da origem, seja China, índia, Bangladesh ou outro país, é importante ter em mente o porque de importar tecidos.

Nossa opinião a esse respeito é simples, não importe se há suprimento local a um valor similar.

Alguns tecidos precisam de licença para importar.

Muita gente importa tecidos usando métodos não regulares para obter mais lucro, ou seja, são importações irregulares.

Sua empresa pretende ingressar na importação de tecidos da China, ou outra origem?

Tenha um mente que o sucesso depende diretamente da integridade do processo.

Para saber o real custo de uma importação é fundamental contar com a assessoria de quem entende, por isso nós da Máxxima somos recomendados por empresas líderes em seus segmentos.

Temos um artigo publicado aqui no blog que fala sobre custos, dê uma olhada!

 

Empresas pequenas podem importar tecidos?

 

Qualquer empresa pode importar tecidos, desde que habilitadas no sistema informatizado de controle de importações da Receite Federal, o Radar.

Esse tema também foi abordado aqui anteriormente.

A questão não é quem pode ou quem não pode importar, mas sim se é viável ou não importar.

Vamos dar um exemplo:

Você tem uma pequena confecção, usa 2 mil quilos de veludo, o qual você compra de um atacadista em sua cidade.

Imagine o seguinte, o atacadista importa esse veludo em container fechado com mais de 16 mil quilos, ou seja, ele consegue diluir os custos em mais material.

Outro fator é o poder de barganha, se você comprar apenas 2 mil quilos de um chinês o seu preço não será o mesmo que ele fará para quem compra 16 mil, compreende?

 

Em suma, quem importa mais consegue um custo menor. Então como importar tecido da China?

Não aconselhamos ninguém a tentar importar quantidades inferiores a um container, pois seguramente pagará mais caro que comprar aqui no Brasil.

Antes de qualquer atitude consulte a Máxxima, nossa empresa dará orientações a você.